A medida provisória tem como objetivo promover melhoria de recursos ao trabalhador e aquecer a economia do país!

Nas últimas semanas, um dos assuntos mais comentado em sites, blogs e telejornais, foi a liberação do FGTS, benefício de direito do cidadão que trabalha em regime CLT.

Atualmente o FGTS é tido como uma grande ajuda para o financiamento de recursos habitacionais, caso seja da vontade do trabalhador.

Já a medida provisória tem como objetivo aquecer a economia do país, estimulando e aumentando o poder de compra do cidadão brasileiro, permitindo que trabalhadores que tiverem saldo acima de R$ 2o mil possam sacar 5% do total a cada ano, além de um valor fixo de R$ 2.900. Dessa forma, os valores de retirada irão variar com o saldo total do beneficiário. Já os beneficiados que tiverem saldos de até R$ 500, poderão sacar 50% do total anualmente.

Segundo o secretário de Fazenda do Ministério da Economia, Waldery Rodrigues, o financiamento ao setor de construção civil para obras habitacionais não será prejudicado pela liberação de recursos aos trabalhadores.

“Sabemos da importância desse setor. Nesse momento, preservaremos na íntegra a capacidade de financiamento a esse setor. A diretriz é uma melhoria de acesso aos recursos do trabalhador, sem afetar em particular o setor de construção”, declarou Rodrigues.

Do orçamento de R$ 85,5 bilhões aprovado para 2018 pelo Conselho Curador do FGTS, R$ 69,4 bilhões foram destinados para a área de habitação.

Comente com Facebook

Comentários